sábado, 8 de fevereiro de 2014

Homenagem aos campeões brasileiros de 1988 - Bobô



Bobô
Nome: Raimundo Nonato Tavares da Silva
Posição: Meia
Data de nascimento: 26/11/1962
Cidade natal: Senhor do Bonfim/BA
Partidas disputadas na competição: 24
Gols marcados: 6
Outros clubes: Catuense, São Paulo, Fluminense, Flamengo, Corinthians, Inter

Capitão. Símbolo. Autor dos gols do título. Decisivo. Tudo isso tem a ver com ele: Bobô. Um dos maiores ídolos do Esquadrão. Já tinha chamado a atenção de todo o País no Brasileiro de 1986, ao lado de Cláudio Adão, mas foi em 1989, quando cresceu demais nas finais do Brasileiro de 1988, que escreveu de vez seu nome na história do Bahia e do futebol brasileiro. Hoje é dia 8, o número que o acompanha desde sempre. Craque, suas passagens no livro A União de uma Nação são emocionantes. O prefácio da obra, bastante elogiado, é assinado por ele.

Para saber mais sobre todos eles e essa façanha que até hoje emociona os tricolores, leia A União de uma Nação, que conta a história da conquista do Campeonato Brasileiro de 1988 pelo Esporte Clube Bahia.

Foram 42 fontes entrevistadas entre jogadores que fizeram parte da competição, dirigente, treinador, ídolos de outras épocas, adversários e profissionais de imprensa. Foram quase dois anos de pesquisas, entrevistas, redação e edição. O livro conta toda a trajetória de um grupo de jogadores que colocou o Esporte Clube Bahia no topo do futebol nacional com o título brasileiro de 1988.

O livro conta:
- A preparação do clube durante o primeiro semestre de 1988;
- A formação do time;
- O título baiano;
- A análise da equipe feita por outros ídolos e por profissionais da imprensa;
- O relato de cada um dos 29 jogos da campanha;
- Participação do Bahia na Libertadores;
- Participação dos tricolores na Seleção Brasileira;
- Relatos dos personagens: Evaristo de Macedo, Bobô, Zé Carlos, Charles, Ronaldo, Marquinhos, Paulo Rodrigues, Paulo Robson, Dico Maradona, Edinho Jacaré e muito mais.

LEANDRO SILVA
é jornalista esportivo e escritor, autor do livro A União de uma Nação, sobre o título brasileiro de 1988, conquistado pelo Bahia, e escreve para o blog www.leandrosilva81.blogspot.com . No twitter @leandrosilva81

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Maior conquista esportiva do Nordeste completa 24 anos

Em 19 de fevereiro de 1989, verdadeiros heróis tricolores, como Bobô, Zé Carlos, Charles, Ronaldo e Paulo Rodrigues, seguraram o poderoso Internacional no Beira-Rio, arrancaram um empate e deram a Volta Olímpica em Porto Alegre, garantindo a maior conquista esportiva da história do Nordeste. Naquele momento, assim como agora, o carnaval tinha terminado recentemente, mas aquele grupo comandado por Evaristo de Macedo fez recomeçar a folia momesca em Salvador. Era a conquista da segunda estrela que tanto orgulha os torcedores do Esquadrão de Aço.

Criação de Soza para a Casa do Tricolor
Essa é uma história que me emociona tanto que escrevi um livro para reunir todas as informações que pude encontrar sobre esse momento inigualável. E as declarações emocionadas de muitos que já leram é a maior recompensa que um escritor pode ter. Agora, em comemoração aos 24 anos desse feito que me proporcionou tanta felicidade, estou disponibilizando, para download, um trecho da obra chamada A União de uma Nação. Comece a ler e tente parar. Já adianto que muitos disseram que não conseguiram. Quando terminar, entre em contato pelo e-mail leandrosilva81@hotmail.com ou ainda pelo twitter, para adquirir o seu exemplar e não perder nenhum detalhe desta história emocionante. Presença obrigatória na estante de casa de todo verdadeiro tricolor do Esquadrão de Aço.

Clique aqui para baixar o trecho de divulgação do livro e deixe seu comentário. Divulgue para toda a Nação tricolor.

domingo, 11 de novembro de 2012

Argentino complicou o tricolor

Quando o argentino Montillo levou o terceiro cartão amarelo e ficou impossibilitado de encarar o Bahia, muitos torcedores tricolores devem ter comemorado. Mesmo assim, o tricolor não escapou de perder para o Cruzeiro com uma grande atuação de um argentino. O compatriota de Montillo, Martinuccio, que chegou a ser especulado como reforço do Esquadrão para o Brasileiro, jogou muito e fez dois gols, o segundo foi um golaço. Assim como o lindo gol de William Magrão, que fechou o placar em 3 a 1. 

Antes, Fahel tinha dado esperanças ao tricolor de fugir do sufoco, ao abrir o placar, mas a virada do time mineiro deixou o Bahia ainda em situação complicada e seria pior caso o Figueirense não tivesse buscado o empate contra o Sport, que vencia e reduzia a distância para o Bahia para apenas um ponto. Agora são três, restando três rodadas. O que complica um pouco mais a situação é que o rubro-negro leva vantagem no primeiro critério de desempate caso se iguale ao Esquadrão. Ponte Preta, Náutico e Atlético Goianiense são os três adversários que restam.

Cruzeiro 3x1 Bahia - Martinuccio (2), William Magrão - Fahel
Cruzeiro: Fábio, Diego Renan, Thiago Carvalho, Leandro Guerreiro e Everton; Sandro Silva, Tinga (Willian Magrão), Marcelo Oliveira e Martinuccio; Fabinho (Souza) e Anselmo Ramon (Wellington Paulista).
BahiaMarcelo Lomba, Neto, Lucas Fonseca, Titi e Jussandro; Fahel, Fabinho (Elias), Hélder e Gabriel; Jones Carioca (Mancini) e Souza

sábado, 10 de novembro de 2012

Acabou a gordura

O Vitória vinha sobrevivendo nesta Série B graças à gordura acumulada durante a excelente campanha do primeiro turno, quando apenas o Criciúma seguia no mesmo ritmo. Com a alarmante queda de rendimento no segundo turno e o crescimento de Goiás, Atlético Paranaense e São Caetano, restava ao rubro-negro comemorar o bom desempenho nas primeiras 19 partidas, enquanto queimava a gordura, mas, faltando duas rodadas para o fim do campeonato, a gordura acabou. Depois da derrota, por 1 a 0, para o Guaratinguetá, o time baiano se vê apenas dois pontos à frente do quinto colocado, São Caetano. 

O Vitória novamente não jogou bem, mas, como o Guaratinguetá, que luta contra o rebaixamento, fez um gol logo no início, teve o campo inteiro para jogar, pressionando demais, principalmente no segundo tempo, devido ao recuo excessivo da equipe paulista. Virou ataque contra defesa e as impressionantes defesas do goleiro Saulo e a cera excessiva fizeram com que o rubro-negro não conseguisse chegar ao empate. Agora, para não depender de outros resultados, o rubro-negro precisa de um triunfo e um empate nos jogos restantes contra Joinville, fora, e Ceará, no Barradão.


Guaratinguetá 1x0 Vitória - Jonatas Belusso

Guaratinguetá: Saulo, Leandro, Baggio, Igor e Renato Peixe; Bruno Formigoni, Júlio César, Danilo Gomes (Marlon) e Marcinho (Pimenta); Jonatas Belusso (Rocha) e Alemão.
Vitória: Deola, Nino Paraíba, Victor Ramos, Gabriel Paulista e Gilson; Uelliton (Fernando Bob), Michel, Tartá (Artur Maia); Marquinhos, William (Dinei) e Elton.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Depois dos sustos, o acesso mais próximo

O Vitória assustou a torcida ao perder um pênalti, ao ceder o empate, depois de estar vencendo por 1 a 0, e ao permitir a reação do América, depois de estar goleando por 4 a 1 e diminuir para 4 a 3. Mas o segundo gol de Nino Paraíba na partida, o oitavo do jogo, fechou o placar em 5 a 3, e deixou o rubro-negro, mais uma vez, próximo do acesso e até do título, já que quase todos os resultados da rodada ajudaram. 

Faltam três rodadas e a diferença para o quinto colocado, São Caetano, é de cinco pontos.Além de Nino Paraíba, Willie também balançou as redes duas vezes, enquanto o centroavante William fez um gol. Pelo lado do América Mineiro, Fábio Júnior fez dois e Rodriguinho, um. Na estreia do técnico Paulo César Gusmão, o rubro-negro parece ter conseguido acalmar a torcida.

Vitória 5x3 América Mineiro - Nino Paraíba (2), Willie (2), William - Fábio Júnior (2) e Rodriguinho
Vitória: Deola, Nino Paraíba, Victor Ramos, Rodrigo Mancha e Gilson; Uelliton (Fernando Bob), Michel, Willie (Arthur Maia), Tartá; William (Marquinhos) e Elton.
América: Neneca, Patrick (Lula), Dirceu, Gabriel Santos e Bryan; Dudu, Marquinhos Paraná, Rodriguinho e Gilberto (Júnior Timbó); Ewerthon (Rodrigo Pimpão) e Fábio Júnior.

domingo, 4 de novembro de 2012

Um pouco de alívio

O triunfo do Sport jogou toda a pressão para cima do Bahia, que jogaria mais tarde contra a Portuguesa. A diferença para a zona de rebaixamento tinha diminuído para apenas um ponto, mas o gol de Souza, após chute forte de Diones, que fez com que Dida proporcionasse o rebote, deixou o tricolor novamente quatro pontos à frente dos pernambucanos e ainda fez com que o tricolor alcançasse a Lusa. Perde apenas nos critérios de desempate. 

Portuguesa 0x1 Bahia - Souza
Portuguesa: Dida, Luis Ricardo, Gustavo, Valdomiro e Marcelo Cordeiro (Rodriguinho); Ferdinando (Heverton), Léo Silva (Willian Xavier), Boquita e Moisés; Ananias e Bruno Mineiro.
Bahia: Marcelo Lomba, Neto, Lucas Fonseca, Titi e Jussandro (Fabinho); Fahel, Diones e Hélder; Jones Carioca (Elias), Gabriel (Victor Lemos) e Souza.

sábado, 3 de novembro de 2012

Juntando os cacos

O Vitória parecia estar tentando juntar os cacos depois do embate com alguns dos seus torcedores no aeroporto em Salvador, mas o Bragantino não deu nem tempo para isso e saiu logo na frente do placar, aproveitando falha terrível do zagueiro Gabriel Paulista, que cometeu pênalti para tentar consertar o erro e acabou piorando, pois deixou o time ainda com um a menos. Diego Macedo cobrou o pênalti e abriu o placar.

Na segunda etapa, ao invés de conseguir uma reação, o rubro-negro continuou entregue e ainda sofreu mais dois gols provenientes de cruzamentos. No primeiro, Uelliton tentou cortar para trás e fez contra. No segundo, ninguém cortou e a bola entrou direto. Se o clima com a torcida já estava ruim, a tendência é piorar e o rubro-negro precisa continuar a tentar juntar os cacos.

Bragantino 3x0 Vitória - Diego Macedo, Uelliton (contra) e Bruno Iotti
Bragantino: Gilvan; Diego Macedo, André Astorga, André Vinicius e Bruno Iotti; Kadu, Carlinhos e Glauber; Tiago Luis (Preto), Caion (Diego Barbosa) e Malaquias (Léo Jaime). 
Vitória: Deola, Nino Paraíba, Victor Ramos, Gabriel Paulista e Gilson (Mansur); Uellinton, Michel, Rodrigo Mancha e Eduardo Ramos (Willie); Tartá (Marquinhos) e Elton.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Bobô é homenageado em sorteio da Copa do Nordeste 2013

Bobô foi homenageado na cerimônia de lançamento oficial da Copa do Nordeste de 2013, que aconteceu em Fortaleza, no Ceará, nesta quinta-feira (13/9), e participou do sorteio que definiu os grupos da primeira fase da competição. Bobô foi campeão da edição de 2002, como treinador do Bahia, quando a competição se chamava Campeonato do Nordeste. 

O Campeonato do Nordeste fez muito sucesso nos anos de 2001 e 2002, conquistados pelo Bahia, mas foi encerrado pela CBF, pois os outros torneios regionais não deram certo. Ainda houve outras edições da competição, em que os clubes utilizavam suas equipes reservas. Em 2013, a tendência é que os clubes deem prioridade ao torneio, colocando os seus principais jogadores em campo. A competição começa no dia 19 de janeiro e terá seu campeão conhecido no dia 17 de março.

Os quatro clubes melhores colocados no Ranking da CBF foram definidos como cabeças de chave da competicão, dois da Bahia e dois de Pernambuco: Bahia, Vitória, Sport e Santa Cruz. A partir daí foram sorteados os adversários na primeira fase de cada um deles. O Grupo do Bahia foi considerado o mais forte, pois conta com uma equipe da primeira divisão e duas da segunda, três equipes tradicionais da região. 

O grupo do Vitória também não é fraco, pois conta com três equipes da Série B e mais uma que disputou a Série B no ano passado. Sport e Fortaleza são os favoritos no Grupo B, que ainda conta como tradicional Confiança, enquanto Santa Cruz e CRB são os mais tradicionais do D, chave que tem o terceiro representante baiano, o Feirense.

Grupo A:
Bahia
Ceará
ABC
Itabaiana
Grupo B:
Sport
Fortaleza
Confiança
Sousa
Grupo C:
Vitória
América-RN
ASA
Salgueiro
Grupo D:
Santa Cruz
CRB
Campinense
Feirense

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Maior sequência invicta do tricolor na Série A desde 2001

Com o importante gol de Hélder, próximo ao final do jogo contra o Sport, o Bahia alcançou o empate, em 1 a 1, e aumentou a sequência invicta para seis jogos, com três triunfos e três empates. Já é a maior sequência invicta desde a excelente campanha de 2001. Aquela campanha foi tão boa que o clube já tinha engatado uma sequência anterior, também de seis partidas.
Depois disso, nunca mais o tricolor ficou tanto tempo sem perder na Série A. Em 2011, no retorno à elite, por exemplo, a maior sequência invicta do tricolor foi alcançada entre a 27 e a 30 rodada, com quatro jogos sem perder. (Bahia 3x2 Avaí; Botafogo 2x2 Bahia; Bahia 0x0 Cruzeiro; Coritiba 0x0 Bahia).

No jogo, o Bahia foi surpreendido logo cedo com um gol de Hugo, de cabeça. Depois, o time chegou a ficar atordoado e sofrer uma pressão. Principalmente neste momento do jogo, Marcelo Lomba foi decisivo para o posterior empate, realizando grandes defesas que impediram que o Sport matasse o jogo ainda cedo.

Mais calmo, o Bahia passou a ter mais a posse de bola, mas esbarrava na boa marcação rubro-negra. No primeiro tempo, faltou uma inversão de lado de Jones. Pela direita, ele não conseguiu levar a melhor sobre Renê e Diego Ivo. Deveria ter caído pela esquerda, já que Cicinho estava avançando bastante. Sua mudança poderia inibir as subidas do antigo lateral da Seleção ou se aproveitar dos seus avanços para pegar sem marcação.

A mudança só aconteceu no segundo tempo e ajudou na melhora da equipe tricolor. Contribuiu também para isso a boa entrada do atacante Elias, que chegou a acertar o travessão em um ótimo chute de esquerda, que não é a perna boa, e ainda deu o passe para Hélder, já próximo ao final do jogo, para o camisa 68 mandar forte cruzado e empatar. Um ponto muito importante na luta para fuga do rebaixamento. E que confirma, mais uma vez, a evolução do tricolor.

Sport 1x1 Bahia - Hugo - Hélder
Sport: Saulo, Cicinho, Edcarlos, Diego Ivo e Renê; Tobi, Rithely (Naldinho), Moacir e Hugo (Felipe Menezes); Gilsinho (Gilberto) e Felipe Azevedo.
Bahia: Marcelo Lomba, Neto, Danny Morais, Titi e Jussandro; Fabinho, Diones (Kleberson), Hélder; Zé Roberto (Elias) e Jones Carioca (Mancini); Souza.

Sequência atual
Bahia 1x1 Atlético Goianiense
Santos 1x3 Bahia
bahia 1x0 São Paulo
Bahia 1x1 Atlético Mineiro
Vasco 0x4 Bahia
Sport 1x1 Bahia

Sequência de 2001
Bahia 3x0 Paraná
Bahia 2x1 Gama
América Mineiro 1x2 Bahia
Bahia 1x1 Coritiba
Sport 0x1 Bahia
São Caetano 0x0 Bahia

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Boxeadora baiana faz história e garante medalha olímpica


A boxeadora baiana, Adriana Araújo, que conta com o apoio do programa Bolsa Esporte, do Governo do Estado, voltou a fazer história nesta segunda-feira (6/8), ao vencer a marroquina Mahjouba Oubtil, por 16 a 12, pelas quartas-de-final do torneio de boxe da categoria peso leve (até 60 quilos), dos Jogos Olímpicos de Londres. Com o triunfo, Adriana garantiu uma medalha olímpica, no mínimo de bronze, e ainda está na disputa do ouro. Desde 1968, com Servílio de Oliveira, o Brasil não conquistava uma medalha no boxe em Olimpíadas.  

Na semifinal, a baiana irá encarar a russa Sofya Ochigava, que passou, sem dificuldade, por Alexis Pritchard, da Nova Zelândia, por 22 a 4. A luta está marcada para esta quarta-feira (8/8), às 10h15. As outras semifinalistas da categoria são Katie Taylor, da Irlanda, e Mavzuna Chorieva, do Tajiquistão. A final acontecerá na quinta-feira (9/8). Adriana já havia feito história, no domingo (5/8), ao vencer, Saida Khassenova, do Cazaquistão, por 16 a 14, e se tornar a primeira brasileira, e por enquanto a única, a vencer uma luta de boxe em uma Olimpíada. 

Bolsa Esporte - O programa Bolsa Esporte foi criado pelo Governo do Estado por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte - Setre e da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia - Sudesb com base na Lei 11.363/2009. O objetivo é possibilitar um suporte para o treinamento e a participação dos atletas baianos em competições regionais, nacionais e internacionais. No momento, 92 atletas e paratletas estão sendo beneficiados pelo programa.

O programa contempla dois tipos de Bolsa: a Institucional, cuja escolha é feita pela Comissão do Programa e visa o fomento da prática esportiva para aqueles atletas ou paratletas que tenham um potencial de crescimento detectado, o denominado Talento Esportivo, enquanto a de Demanda Social é baseada nos ranqueamentos das federações. Esta bolsa (Demanda Social) é dividida em cinco categorias, com diferentes níveis de remuneração mensal. 

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Pugilistas baianos buscam medalhas em Londres



Poucas vezes uma equipe foi para uma Olimpíada tão confiante na conquista de medalhas como a delegação brasileira de boxe. Com metade dos 10 lutadores classificados para os Jogos - e quatro dos oito ainda "vivos" -, a Bahia carrega boa parte do otimismo. Tradição para justificar o pensamento não falta. A terra de Luiz Dórea (treinador dos cinco baianos em Londres), Joílson Santana, lutador olímpico em Seul 1988, Acelino "Popó" Freitas e Sertão tem talento de sobra pra fazer bonito em qualquer ringue e quebrar o jejum de 44 anos. A única medalha brasileira no boxe é o bronze de Servílio de Oliveira, no México 1968.


Com maior investimento, a equipe olímpica teve condições de disputar uma temporada internacional contra os melhores do mundo. E com sucesso. Que o diga Éverton Lopes, campeão mundial no peso meio-médio-ligeiro, no ano passado. Ex-lavador de carros no Engenho Velho de Brotas, usava o dinheiro que ganhava para pagar a passagem de ida para a academia. Voltava correndo. Em Londres, quer repetir o feito de 2011 e conquistar um título inédito.



"Todos os meus adversários do Mundial estão na Olimpíada. Não existe favorito, eu não era nada e fui campeão mundial", analisa o baiano. Quem também acredita em medalha, e de ouro, é Adriana Araújo. Ela é uma das duas baianas que vão fazer história para o Brasil na primeira participação feminina do boxe em Olimpíadas. A lutadora, que não gostava de boxe - "gostava de futebol, jogava no meio dos meninos" - é a quarta melhor do ranking mundial e não escolhe adversária. "Pode ter certeza que eu estou indo buscar o ouro", avisa Adriana.



Casamento - Além dela, Érika Matos também está bem cotada. Nos primeiros dias, ficou na torcida pelo namorado, Róbson Conceição, eliminado domingo. Agora, é a vez dele apoiar a amada e, depois dos Jogos, cumprir a promessa de oficializar a união. "Com ou sem medalha vai sair casamento", garantiu Róbson, antes de viajar para Londres.



Robenílson de Jesus, ex-jogador do Vitória até os 17 anos - treinou com Obina, Dudu Cearense e Felipe - completa a lista de baianos dos ringues. Em sua segunda Olimpíada, ele já passou pela primeira luta e quer ir bem mais longe. "Já lutei com o campeão mundial, o cubano Lázaro Alvarez, e perdi por um ponto dentro de Cuba", vangloria-se.

FONTE: Texto de Alan Rodrigues para o Correio*

Baiano chega ao pódio duas vezes no final de semana e continua líder na GP2

O brasileiro Luiz Razia deu mais um passo importante para a conquista do título da principal divisão de acesso à Fórmula 1, a GP2. Largando na sexta posição, o baiano conquistou seu segundo pódio do fim de semana, com um terceiro lugar. E o melhor: à frente do principal rival na disputa, o italiano Davide Valsecchi, que fechou a prova em quarto. A vitória ficou com o mexicano Esteban Gutierrez, a terceira dele na temporada. O resultado fez o piloto se consolidar como o grande candidato a roubar a cena neste fim de temporada. Em terceiro lugar no campeonato, ele chegou a 150 pontos, e está a 39 de Valsecchi e a 46 de Razia, faltando três rodadas duplas.

Razia fez uma largada agressiva, conseguiu uma ultrapassagem por fora na primeira volta e mais tarde ainda superou o holandês Giedo van der Garde para subir ao pódio. Largando imediatamente atrás do baiano, Valsecchi também precisou escalar o pelotão para minimizar o prejuízo. Fazendo dois pontos a menos que o brasileiro, ele viu a vantagem subir de cinco para sete pontos. "Foi muito importante largar bem e fizemos isso. O momento que usei para passar Van der Garde foi crucial. Foi uma manobra boa, que ele não estava esperando. A partir daí, fiquei só controlando o pódio. Foi um grande fim de semana e uma forma boa de entrar no intervalo de agosto. Nove pódios em nove etapas é a prova de que estamos mostrando uma boa performance e uma consistência na temporada, o que é importante", analisou Razia após a 18ª prova da temporada, na qual ele já conquistou quatro vitórias.

A GP2 acompanha a pausa para as férias da Fórmula 1 no verão europeu e retorna às pistas na etapa da Bélgica, no início de setembro, no lendário circuito de Spa-Francorchamps. As outras rodadas restantes serão disputadas em Monza, na Itália, e no circuito de rua de Cingapura, na Ásia.

Veja como está o campeonato da GP2 a três rodadas duplas do fim da temporada:
1. Luiz Razia (BRA), 196 pontos
2. Davide Valsecchi (ITA), 189
3. Esteban Gutierrez (MEX), 150
4. James Calado (GBR), 132
5. Giedo van de Garde (HOL), 129
6. Max Chilton (GBR), 124
7. Fabio Leimer (SUI), 97
8. Johnny Cecotto (VEN), 80
9. Felipe Nasr (BRA), 69
10. Joylon Palmer (GBR), 62

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Baiano permanece na liderança da GP2 com 12 pontos de vantagem


O piloto baiano Luiz Razia não conseguiu pontuar na segunda corrida que encerrou a rodada dupla de Hockenheim, na Alemanha,  mesmo depois de uma corrida de recuperação em que saiu do 22º lugar para o 12º, mas deu sorte e conseguiu manter a liderança e os mesmos 12 pontos de vantagem para o vice-líder, Davide Valsecchi, que chegou em 10º e também não marcou pontos.

O mau resultado do baiano foi causado por uma rodada na primeira volta da prova. Depois de largar na primeira fila, Razia foi espremido para fora da pista na disputa pela segunda posição com Giedo van der Garde e acabou rodando. Quando conseguiu voltar já tinha sido ultrapassado várias vezes e ficou na 22º posição, tendo que iniciar uma reação desde então. Agora, Razia tem 171 pontos, contra 159 do segundo colocado na classificação geral da GP2
As próximas provas acontecem, no circuito de Hungaroring, nos dias 28 e 29.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Vitória é o campeão da Copa 2 de Julho de 2012



Leonardo
A Copa 2 de Julho de futebol sub-17 foi criada em 2007, pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia - Sudesb, para realizar uma competição de base de alto nível na Bahia, gerando a oportunidade do primeiro emprego para muitos jovens de todo o Estado. E o autor do primeiro gol da goleada de 5 a 2 do Vitória sobre o Cruzeiro, que garantiu o título do torneio para o rubro-negro, Leonardo, é um ótimo exemplo para comprovar que o objetivo está sendo alcançado. No ano passado, o camisa 9 do Vitória ganhou o prêmio de revelação da Copa, atuando pela seleção municipal de São Francisco do Conde. "Assim que acabou o último jogo da minha equipe na Copa do ano passado, o Vitória já me levou para lá. Cheguei há um ano e fui muito bem recebido, o Vitória já é minha paixão. Foi muito importante participar, mais uma vez, desta Copa que teve tanta importância para mim. E o melhor é que dessa vez fomos campeões. Ainda consegui fazer o primeiro gol", conta o atacante Leonardo, que fez cinco gols durante a competição.

Esta é a primeira vez que o título da competição fica com uma equipe baiana. Antes, nas outras cinco edições, o troféu foi para o Internacional, duas vezes, a seleção brasileira, também duas vezes, e o São Paulo. A goleada rubro-negra sobre o Cruzeiro coroou uma campanha impecável na competição. Foram nove triunfos em nove jogos, garantindo 100% de aproveitamento. O ataque também impressionou, marcando 41 gols, com uma média de 4,55 por partida.

O jogo – A decisão teve uma primeira etapa emocionante para a alegria do público presente que lotou o estádio municipal de Lauro de Freitas. Não tinha lugar para mais ninguém. Também não dava para respirar. Não pelo aperto, mas pelo ritmo alucinante da partida. Logo aos cinco minutos, o atacante Leonardo aproveitou cruzamento de Eudair, pela esquerda e cabeceou firme, com estilo, para abrir o placar. Não demorou muito e, aos 16 minutos, após boas chances desperdiçadas de ambos os lados, o zagueiro Bruno aproveitou falha do goleiro Luan, que deu rebote, e empurrou para o fundo das redes.

Apesar do domínio do jogo ser rubro-negro, o time mineiro sempre levava perigo quando partia para o ataque, principalmente com o atacante Judivan, pela direita. No entanto, aos 26 minutos, a zaga cruzeirense tentou afastar o perigo, a bola estourou em Michael e entrou. Mas não deu muito tempo para comemorar. Um minuto depois, Sávio arrancou pela direita, virou o jogo para a esquerda e encontrou Wesley, que, de fora da área, colocou, tirando do alcance do goleiro, fazendo um golaço.

No entanto, aos 31 minutos, para não ficar por baixo, o Vitória também fez um golaço. Alex Cruz, de letra, colocou o time baiano mais uma vez na frente do placar. E, dessa vez, definitivamente. No segundo tempo, o ritmo de jogo diminuiu, mas o ímpeto do ataque rubro-negro, não. Matheus fez o quarto gol e Michael marcou pela segunda vez na partida, fechando o placar em 5 a 2. O camisa 17 foi o artilheiro do time na competição, com 12 gols. Depois, foi só esperar o apito final e fazer a merecida festa do título.

Premiados – Mais uma vez bem em campo na decisão, o volante Welisson foi escolhido como o melhor jogador da competição. É a terceira vez consecutiva que um jogador da posição fica com o prêmio na Copa 2 de Julho. Em 2009, Rodrigo, da seleção brasileira, foi o premiado, e, no ano passado, foi a vez de Allan, do São Paulo.  O camisa 5 rubro-negro é um dos jogadores mais experientes do grupo e, inclusive, participou da Copa São Paulo, sub-18, neste ano.

Lourival
Welisson
A noite foi rubro-negra, mas havia espaço para a felicidade de um tricolor. Com 15 gols marcados, o atacante Lourival, do Bahia foi o artilheiro da Copa 2 de Julho. No ano passado, ele já havia feito 10 gols e sido um dos destaques do torneio. Esta é a terceira competição em 2012 que o camisa 11 termina como goleador. Antes, foi a Copa Rio e a Copa Metropolitana, também realizada pelo Governo do Estado, por meio da Sudesb. Já são 41 gols na temporada e 132 com a camisa do Bahia.

“A Copa 2 de Julho é uma das competições mais importantes do País e sempre há uma expectativa muito grande no Bahia por um título. Infelizmente, não conseguimos chegar à final desta vez, mas fizemos uma ótima campanha e consegui ser o artilheiro, mesmo não estando na final”, diz Lourival.

O torneio - A Copa 2 de Julho é realizada pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia - Sudesb, com o apoio da Federação Baiana de Futebol, e dos municípios participantes, e busca promover a inclusão social, através do esporte, com a geração de talento e do primeiro emprego para muitos garotos, além de proporcionar à população baiana a oportunidade de acompanhar partidas de alto nível técnico.

Além dos finalistas, Vitória e Cruzeiro, a sexta edição da Copa 2 de Julho contou com grandes atrações como as seleções do Brasil, Chile e de Angola, clubes estrangeiros, como Colo-Colo, do Chile, Nuevo Horizonte, da Bolívia, e The Villages, dos Estados Unidos, e outros grandes clubes do País, como Bahia, São Paulo, Santos, Palmeiras e Ceará.

Já participaram de outras edições do torneio, jogadores como: Wellington Nem e Juan, hoje na Seleção Brasileira principal, Lucas Piazon, do Chelsea, Dodô, na Roma, Wellington Silva, que pertence ao Arsenal, da Inglaterra, João Pedro e Victor Andrade, no Santos, Roberto Firmino, hoje no Hoffenheim, da Alemanha, Adryan, Muralha e Thomáz, do Flamengo, Saimon, do Grêmio, Ademilson, do São Paulo, Fillipe Souto, do Atlético Mineiro, além de Rafael Gladiador, do Bahia, e Romário, Léo e Mineiro, do Vitória.

Vitória 5x2 Cruzeiro – Michael (2), Leonardo, Matheus e Alex Cruz – Bruno e Wesley
Vitória: 1 Luan, 2 Serafim, 3 Wellington, 4 Vinícius e 6 Júnior; 5 Welisson, 7 Eudair, 8 Alex Cruz e 10 Matheus Pranke (15 Teodoro); 17 Michael e 9 Leonardo.
Cruzeiro: 12 Jordan, 13 Antônio, 3 Marlon, 4 Bruno e 6 Rafael Vioto; 5 Matheus Aprígio, 7 Arnould, 2 Sávio e 10 Matheus Santos; 11 Wesley (17 Marcelo) e 9 Judivan.

Confrontos a partir da segunda fase:
Oitavas-de-final (7/7)*:
São Paulo* 3x0 Nuevo Horizonte/Bolívia - Lauro de Freitas
Salvador* 0x2 Seleção Chilena - Lauro de Freitas
Cruzeiro/MG* 3x0 Conceição da Feira - São Francisco do Conde
Palmeiras* 1x2 São Francisco do Conde - São Francisco do Conde
Vitória* 4x1 Corinthians Alagoano – Camaçari
Esplanada* 1x4 Seleção Brasileira – Camaçari
Bahia* 9x0 Jacuipense - Mata de São João
Colo-Colo/Chile* 3x4 Santos – Catu
Quartas-de-final (8/7)**:
São Paulo** 5x3 Seleção Chilena - Lauro de Freitas
Cruzeiro** 1x1 São Francisco do Conde - São Francisco do Conde
Vitória** 2x0 Seleção Brasileira – Camaçari
Bahia** 0x0 Santos - Mata de São João
Semifinais (10/7)**:
São Paulo** 1x2 Cruzeiro - Lauro de Freitas
Vitória** 3x0 Bahia – Camaçari
Final (12/7)***:
Vitória 5x2 Cruzeiro
* Nas oitavas-de-final, as equipes que terminaram na primeira posição de seus grupos tiveram vantagem
**Nas quartas-de-final e nas semifinais, a equipe de melhor campanha na soma das fases anteriores jogou pelo empate para se classificar.
***Na final, não havia vantagem. Se houvesse empate, iria para a prorrogação e pênaltis



Leandro Silva – direto de Lauro de Freitas
Fotos:Paulo Neves

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Baiano vence prova e é líder da principal categoria de acesso à Fórmula 1

Com mais uma exibição de gala, o brasileiro Luiz Razia venceu a corrida complementar da GP2 em Silverstone e aumentou a vantagem na liderança da principal categoria de acesso à Fórmula 1. O baiano da Arden chegou logo à frente do vice-líder do campeonato, o italiano Davide Valsecchi (Dams), e agora possui 165 pontos, contra 159 do rival. E o dia foi verde e amarelo na Inglaterra: o brasiliense Felipe Nasr, também da Dams, completou o pódio.

Após chegar em quinto na primeira prova do fim de semana e assumir a ponta da classificação geral, Razia largou em quarto (devido a inversão de grid entre os oito primeiros), uma posição atrás de Nasr. O pole Giedo Van der Garde fez uma boa largada e manteve a ponta, enquanto Nasr logo superou Valsecchi. Foi aí que começou o show de Razia. Ainda na primeira volta, o baiano ultrapassou o italiano por fora na curva Stowe. Na volta seguinte, repetiu a manobra sobre o compatriota Nasr e, uma passagem depois, tomou a ponta de Van der Garde.

No embalo de Razia, Nasr também superou o holandês. A partir daí, começou um duelo brasileiro pela primeira posição. Na sétima volta, Nasr mergulhou por dentro na segunda curva, mas tomou o 'xis' do baiano. Enquanto isso, Valsechi ultrapassava Van der Garde e assumia o terceiro lugar.

Com um bom ritmo, o italiano da Dams alcançou o companheiro de equipe e, a oito voltas do fim, o superou com certa facilidade. Valsecchi foi à caça de Razia, e chegou a reduzir a vantagem para menos de 1s. Mas o brasileiro conseguiu administrar a ponta: emplacou uma série de boas voltas, voltou a abrir vantagem e cruzou a linha de chegada para conquistar a quarta vitória na temporada. Vencedor da primeira corrida na Inglaterra, Esteban Gutierrez foi o quarto colocado. Os pilotos da GP2 voltam à pista no fim de semana de 20 a 22 de julho para a rodada dupla da Alemanha.

Confira os dez primeiros colocados na segunda corrida da GP2 em Silverstone:
1 - Luiz Razia - Arden - 37m28s656
2 - Davide Valsecchi -  DAMS - a 5s642
3 - Felipe Nasr - DAMS  - a17s775
4 - Esteban Gutierrez - Lotus -  a 19s969
5 - Jolyon Palmer -  iSport - a 25s869
6 - Nigel Melker - Ocean - a 28s600
7 - Marcus Ericsson - iSport - a 31s980
8 - Fabio Onidi - Coloni  - a 35s797
9 - Fabio Leimer - Racing Engineering - a 38s127
10 - Josef Kral - Addax - a 40s378

FONTE: Globoesporte.com 

domingo, 8 de julho de 2012

Competição em que Bobô foi revelado é destaque na Revista Placar

O Campeonato Intermunicipal da Bahia, competição em que Bobô foi revelado, atuando pela seleção de Senhor do Bonfim, ganhou as páginas de uma das maiores revistas do seguimento esportivo no Brasil, a Placar, da editora Abril. A edição do mês de julho da publicação dedicou uma página à competição. A reportagem, assinada pelo jornalista Raphael Zarko, destaca a importância do campeonato para o Estado e traz dados importantes, como os cerca de dez mil empregos gerados entre julho e dezembro, meses nos quais são disputados os jogos.

Além disso, a revista aborda o êxito entre jogadores profissionais, que muitas vezes fazem reversão de categoria para se tornarem amadores e chegam a receber salários superiores a R$ 5 mil nas Seleções municipais participantes. Como exemplo, Placar cita o jovem Thiago Rodrigo de Santana Santos, de 23 anos. Paulista, o atleta jogava o Campeonato Profissional de Sergipe há dois anos e optou por atuar no Intermunicipal, onde recebe R$ 1 mil na Seleção de Crisópolis, aproximadamente R$ 200 a mais do que recebia. "Eu estava jogando o Sergipano da primeira divisão havia dois anos. Mas aqui eu ainda posso trabalhar com telemarketing", disse à publicação.

A valorização dos atletas se espalhou de boca em boca e atraiu diversos jogadores para a Bahia. É o que comprova o presidente da Liga Desportiva de São Francisco do Conde, atual campeão do Intermunicipal. "Sete atletas são daqui (Bahia) mesmo. Os mais de 20 restantes são de fora e moram no nosso alojamento", afirmou Raimundo Andrade à reportagem.

Por fim, o jornalista destacou outro grande trunfo do campeonato organizado pela Federação Bahiana de Futebol (FBF). A competição também se tornou um celeiro de craques para o futebol mundial. Entre os grandes nomes da bola que saíram do Intermunicipal da Bahia, Placar cita Raimundo Nonato, o Bobô, campeão brasileiro pelo Bahia e que iniciou a carreira na Seleção de Senhor do Bonfim entre 1983 e 1984; Edílson, penta campeão mundial com Seleção Brasileira e revelado pelo selecionado de Castro Alves, em 1988 e 1999; Júnior Nagata, também penta pelo Brasil e que começou na Seleção de Santo Antônio de Jesus, em 1993; Júnior Baiano, ex-zagueiro da Seleção e grandes clubes como Flamengo e São Paulo, revelado em 1987 pela Seleção de Poções; Liédson, campeão da Libertadores da América 2012 pelo Corinthians e ex-atacante da Seleção de Portugal, que iniciou na Seleção de Valença; e Neto Berola, que deu seus primeiros passos no futebol pela Seleção de Buerarema, em 2008, e hoje se encontra no elenco do Atlético Mineiro ao lado de craques como Ronaldinho Gaúcho.

No próximo dia 21 de julho, a FBF realizará o Congresso do Campeonato Intermunicipal 2012, com a presença de todas as Ligas Desportivas participantes, em um local ainda indefinido. A abertura da competição será no dia 22 de julho e a grande final em 16 de dezembro. 

FONTE: Site oficial da FBF

Anderson Silva vence luta do século e provoca rival

Foram dois anos de provocações, declarações polêmicas, acusações de desrespeito. Mas, depois de vencer Chael Sonnen por nocaute no segundo round, Anderson Silva tentou selar a paz. "Isso aqui é esporte, isso é o UFC. Eu e o Chael fizemos o melhor para dar uma luta boa a vocês. Eu não odeio o Chael. Ele desrespeitou meu país, mas tudo bem", disse o campeão, que chega a 10 defesas de título, ampliando seu recorde no UFC.

Anderson pediu aos brasileiros que estavam na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, que saudassem Sonnen após o combate. "Galera, vamos alaudir o cara, também". O campeão foi atendido apenas parcialmente.

Mas foi na resposta seguinte que Anderson arrancou aplausos dos torcedores. "Quero avisar ao Sonnen que farei um churrasco na minha casa e ele está convidado", disse o brasileiro, referindo-se a uma das ofensas mais duras feitas recentemente pelo norte-americano.

Em entrevista a um programa de TV, Sonnen afirmou que gostaria de ir até a casa de Anderson Silva e comer um bife passado pela esposa do brasileiro. Em teleconferência há duas semanas, Sonnen voltou ao tema. "Só tenho duas palavras para Anderson: ao ponto", disse, despertando a ira do campeão.

As declarações recentes de Anderson Silva mostraram uma faceta pouco conhecida do brasileiro: ele parecia irritado em excesso com as declarações do rival e chegou a prometer um massacre. "Acabou a brincadeira. Vou quebrar todos os dentes da boca dele", disse na ocasião. 

Sonnen admite superioridade de Anderson

Com uma postura bem menos provocativa do que aquela apresentada nas últimas semanas, Chael Sonnen parecia outra pessoa na entrevista coletiva após o UFC 148, em Las Vegas. Derrotado por Anderson Silva com um nocaute no segundo round, o norte-americano estava mais calmo, até arriscou sorrisos e não quis entrar em polêmicas com o brasileiro.

"Eu não gosto quando dizem que o vencedor foi quem lutou melhor naquela noite. O vencedor é o melhor lutador. E, hoje, o melhor cara venceu", afirmou Sonnen, que elogiou até mesmo a torcida brasileira. "Eles me vaiaram o tempo todo e fizeram o certo: estavam apoiando o cara deles. Só nos Estados Unidos as pessoas não fazem isso", disse o norte-americano.

O bom humor de Sonnen permitiu até uma brincadeira com Anderson Silva. Após a vitória, Anderson fez um convite para que o rival fosse a um churrasco em sua casa. O "convite" era, na verdade, uma resposta às provocações de Sonnen - o norte-americano disse recentemente que gostaria que a mulher de Anderson fizesse um bife para ele.

"Foi muito legal da parte dele esse convite. Estou morrendo de fome e iria em um churrasco brasileiro agora mesmo", disse Sonnen, antes de fazer referência a uma outra provocação. "Mas só se a carne estiver ao ponto", afirmou, revivendo uma outra declaração, sobre o ponto do bife que gostaria de comer. Anderson, que também estava na entrevista, apenas sorriu.

Sonnen afirmou, ainda, que os problemas com Anderson Silva foram todos resolvidos. "Terminou a luta, demos um aperto de mão e os nossos problemas ficaram no octógono", afirmou. Após perder duas chances de conquistar o cinturão dos pesos médios, Sonnen disse ainda não saber como ficará seu futuro na categoria, mas disse: "Não estou precisando de férias". 

FONTE: ESPN.com.br

Fla-Flu comemora 100 anos neste domingo


Tricolor visceral, o dramaturgo Nelson Rodrigues dizia que o Fla-Flu surgiu 40 minutos antes do nada. Entende-se a força de expressão. Mas na verdade o clássico mais colorido do futebol brasileiro nasceu quando nove titulares do Fluminense se desentenderam com a direção do time e propuseram ao Flamengo, um clube de regatas, a criação de um departamento de futebol. Em 7 de julho de 1912 se realizou o primeiro confronto, nas Laranjeiras. A vitória do Fluminense por 3 a 2 - Edward Calvert marcou o primeiro gol - dava início à ferrenha rivalidade, que neste domingo completa 100 anos e um dia.

Rubro-negros e tricolores se enfrentam, às 16 horas, para reforçar os laços históricos que os unem e o antagonismo que alimenta as paixões de lado a lado. A lamentar, apenas o local do jogo. O clássico está privado do palco que o eternizou.

Com a reforma do Maracanã, o Fla-Flu centenário vai ser disputado no Engenhão, limitando a presença de público a menos de 40 mil pessoas. Isso para um duelo que já levou quase 200 mil pessoas ao estádio.
Foi no "Maraca" que Zico deixou sua marca indelével no clássico: três gols na goleada por 4 a 1, em 1986; o último, de número 700 na carreira. Era a estreia de Sócrates com a camisa rubro-negra e o Galinho, há pouco de volta da Udinese, foi recebido aos gritos de "bichado" da torcida tricolor. No Flu, Renato Gaúcho marcou o inesquecível gol de barriga (creditado a Aílton na súmula) que rendeu o título estadual de 1995.

Quem presenciou não esquece o duelo de 1969. A decisão do Carioca foi vencida por 3 a 2 pelo Fluminense, em jogo polêmico, marcado pela expulsão do goleiro rubro-negro Dominguéz.

Os tricolores também guardam na memória os títulos de 1983 e 1984, com gols decisivos de Assis, a partir de então conhecido como o Carrasco dos rivais.

Foi num Fla-Flu que Zico disse adeus ao único clube que defendeu no Brasil. Em 1989, o camisa 10 faz um gol de falta, o 19.º contra os rivais. Até hoje, é o artilheiro máximo do clássico.

O confronto de hoje vai ser o de número 381 entre os rivais. Os rubro-negros comemoraram 137 vitórias; os tricolores, 119. São 134 empates. A estatística não contabiliza jogos do Torneio Início, competição peculiar disputada entre 1918 e 1965. A maioria dos jogos foi válida pelo Campeonato Carioca, vencido 32 vezes pelos flamenguistas e 31 pelos tricolores.

FONTE: Estadão

terça-feira, 3 de julho de 2012

Definidos os atletas que representarão Brasil na Olimpíada

"O Troféu Brasil de atletismo, encerrado neste domingo, definiu o tamanho da delegação verde-amarela nos Jogos Olímpicos de Londres. Com os últimos confirmados, contando todos os esportes, o país terá 258 atletas na capital britânica, 19 a menos do que levou a Pequim, em 2008.

A maior delegação foi justamente a última a ser fechada. O atletismo levará 35 atletas a Londres, incluindo três revezamentos (4x100 m e 4x400 m feminino e 4x100 m masculino). Nestes últimos dias, Caio Bonfim, da marcha atlética, e Luiz Alberto de Araújo, do decatlo, levaram as últimas vagas.

Geisa Coutinho, Joelma das Neves, Jailma Sales, Lucimar Teodoro e Aline Leone formam o time do 4x400 m feminino, enquanto Rosângela Santos, Ana Cláudia Lemos, Evelyn dos Santos, Franciela Krazucki e Tamiris de Liz tentarão a medalha no 4x100 m. O 4x100 m masculino, que tem seis vagas pela colocação no ranking mundial, terá Bruno Lins, Aldemir Gomes, Sandro Viana, Diego Cavalcanti, Carlos Roberto de Moraes e André Nilson. 

Apesar do volume de classificados, o atletismo é um dos responsáveis pela queda em relação a Pequim, quando foi com 45 atletas. Logo atrás do atletismo vem o futebol, com 36 representantes; basquete e vôlei com 24. A natação, com 27 atletas em 2008, também sofreu uma queda em Londres, especialmente entre as mulheres.

Em Pequim, 12 meninas (incluindo a maratona aquática) foram representar o Brasil, contra as cinco que irão desta vez. A delegação total da natação tem 20 classificados e é a segunda maior entre os esportes individuais. A ausência da equipe de ginástica rítmica também ajuda a explicar a diferença.

O basquete masculino, de volta aos Jogos Olímpicos pela primeira vez desde 1996, poderia representar um aumento considerável na lista. Só que, em contrapartida, o Brasil perdeu a presença da seleção masculina de handebol, que não conseguiu a classificação no Pan de Guadalajara, no ano passado, e nem no Pré-Olímpico deste ano.

Mesmo assim, o time de Londres é o segundo maior da história olímpica do país, à frente da delegação de Atenas, terceira colocada com 247 atletas. Se o time é menor, a meta é a mesma. Segundo projeção divulgada pelo COB há alguns meses, a expectativa é conseguir 15 medalhas (sem distinção de cor), mesmo número atingido em Pequim". 

FONTE: Uol

Confira a lista completa de classificados abaixo:
Atletismo (35 atletas)
Adriana Aparecida da Silva - Maratona
Aldemir Gomes - 200 m e revezamento 4 x 100 m
Aline Leone - Revezamento 4 x 400 m
Ana Cláudia Lemos – 200 m e revezamento 4 x 100m
Andressa Oliveira de Morais - Lançamento do disco
Bruno Lins – 200 m e revezamento 4 x 100 m
Caio Bonfim - Marcha Atlética (20km)
Carlos Pio - Revezamento 4 x 100 m
Diego Cavalcanti  - 200 m e revezamento 4 x 100 m
Evelyn dos Santos - Revezamento 4 x 100 m
Fabiana Murer - Salto com vara
Fabiano Peçanha  - 800 m
Fábio Gomes da Silva - Salto com vara
Franciela Krazucki  - Revezamento 4 x 100 m
Franck Caldeira - Maratona
Geisa Arcanjo - Arremesso de peso
Geisa Coutinho - Revezamento 4 x 400 m
Guilherme Cobbo  - Salto em altura
Jailma de Lima - Revezamento 4 x 400 m
Joelma das Neves - Revezamento 4 x 400 m
Jonathan Henrique Silva – Salto triplo
Keila Costa - Salto triplo
Kleberson Davide – 800 m
Laila Ferrer - Lançamento do dardo
Lucimar Teodoro - Revezamento 4 x 400 m
Luiz Alberto de Araújo - Decatlo
Sandro Viana - Revezamento 4 x 100 m
Marilson dos Santos - Maratona
Mauro Vinícius da Silva - Salto em distância
Maurren Maggi - Salto em distância
Nilson André - Revezamento 4 x 100 m
Paulo Roberto de Almeida Paula - Maratona
Ronald Julião - Lançamento do disco
Rosângela Santos – 100 m e revezamento 4 x 100 m
Tamiris de Liz - Revezamento 4 x 100 m
Basquete (24 atletas)
Não convocados
Boxe (10 atletas)
Adriana Araújo – até 60kg
Érika Mattos – até 51kg
Esquiva Falcão – até 75kg
Everton Lopes – até 64kg
Julião Neto – até 52kg
Myke Carvalho – até 69kg
Robenílson Jesus – até 56kg
Róbson Conceição – até 60kg
Roseli Feitosa – até 75kg
Yamaguchi Falcão – até 81kg
Canoagem (3 atletas)
Ana Sátila - K1 1000 m
Erlon Silva - C2 1000m masculino
Ronílson Oliveira - C2 1000m masculino
Ciclismo (9 atletas)
Clemilda Fernandes - Estrada
Fernanda da Silva Souza - Estrada
Gregorly Panizo - Estrada
Janildes Fernandes – Estrada
Magno Prado Nazaret - Estrada
Murilo Fisher - Estrada
Renato Rezende - BMX
Rubens Donizete Valeriano – Mountain Bike
Squel Stein - BMX
Esgrima (3 atletas)
Renzo Agresta - sabre
Athos Schwantes - espada
Guilherme Toldo - florete
Futebol (36 atletas)
Andreia Suntaque
Aline Pellegrino
Bagé
Barbara
Bruna
Cristiane
Elaine
Erika
Ester
Fabiana
Francielle
Formiga
Grazi
Marta
Maurine
Renata Costa
Rosana
Thaisinha
Masculino ainda não foi convocado
Ginástica artística (8 atletas)
Equipe feminina ainda não foi convocada
Arthur Zanetti - Argola
Diego Hypolito - Solo
Um atleta masculino a ser definido
Handebol (14 atletas)
Chana
Mayssa
Deonise
Fran
Silvia
Duda
Ana Paula
Mayara
Alê
Jéssica

Samira
Dani Piedade
Dara
Hipismo (10 atletas)
Luiza Almeida
Marcelo Tosi
Marcio Jorge
Renan Guerreiro
Ruy Fonseca
Serguei Fofanoff
Equipe de saltos ainda não foi convocada
Judô (14 atletas)
Bruno Mendonça – até 73kg
Felipe Kitadai – até 60kg
Erika Miranda – até 52kg
Leandro Cunha – até 66kg
Leandro Guilheiro – até 81kg
Luciano Correa – até 100kg
Maria Portela – até 70kg
Maria Suelen Altheman – mais de 78kg
Mariana Silva – até 63kg
Mayra Aguiar – até 78kg
Rafael Silva – mais de 100kg
Rafaela Silva – até 57kg
Sarah Menezes – até 48kg
Tiago Camilo – até 90kg
Levantamento de Peso (2 atletas)
Fernando Saraiva – acima de 105kg
Jaqueline Ferreira – até 75kg
Lutas (1 atleta)
Joice Silva – Luta livre (até 55kg)
Nado sincronizado (2 atletas)
Lara Teixeira - Dueto
Nayara Figueira - Dueto
Natação (20 atletas)
Bruno Fratus – 50 m livre e 4x100 m livre
Cesar Cielo – 50 m livre, 100 m livre e 4x100 m livre
Daniel Orzechowski – 100 m costas
Daynara de Paula – 100 m borboleta
Fabíola Molina – 100 m costas
Felipe França Silva – 100 m peito
Felipe Lima – 100 m peito
Gracielle Herrmann – 50 m livre
Henrique Barbosa – 200 m peito
Henrique Rodrigues – 200 m medley
Joanna Maranhão – 400 m medley
João de Lucca - 4x100 m
Kaio Márcio – 100 m borboleta e 200 m borboleta
Leonardo de Deus – 200 m borboleta e 200 m costas
Marcelo Chierighini - 4x100 m livre
Nicolas Oliveira – 100 m livre e 4x100 m livre
Nicholas Santos - 4x100 m
Poliana Okimoto - Maratona aquática de 10km
Tales Cerdeira – 200 m peito
Thiago Pereira – 200 m medley e 400 m medley
Pentatlo Moderno(1 atleta)
Yane Marques
Remo (4 atletas)
Anderson Nocetti - Skiff
Kissya Cataldo - Skiff
Fabiana Beltrame - Double skiff
Luana Bartholo - Double skiff
Saltos Ornamentais (3 atletas)
Cesar Castro - trampolim de 3 m
Hugo Parisi - plataforma
Juliana Veloso - trampolim de 3 m
Taekwondo (2 atletas)
Diogo Silva – até 68kg
Natália Falavigna – mais de 67kg
Tênis (4 atletas)
André Sá - duplas
Bruno Soares - duplas
Marcelo Melo - duplas
Thomaz Bellucci - simples e duplas
Tênis de Mesa (6 atletas)
Caroline Kumahara
Gui Lin
Gustavo Tsuboi
Hugo Hoyama
Lígia Silva
Thiago Monteiro
Tiro com arco (1 atleta)
Atleta não definido - Masculino
Tiro Esportivo (2 atletas)
Ana Luiza Ferrão Mello - Pistola de 25m
Felipe Fuzaro - Fossa olímpica double
Triatlo (3 atletas)
Diogo Sclebin
Pâmella Oliveira
Reinaldo Colucci
 Vela (9 atletas)
Adriana Kostiw - Laser Radial
Ana Barbachan - 470
Bruno Fontes - Laser Standard
Bruno Prada - Star
Fernanda Oliveira - 470
Jorge Zarif – Finn
Patrícia Freitas - RS:X
Ricardo Winicki - RS:X
Robert Scheidt - Star

Vôlei (24 atletas)
Seleções ainda não convocadas

Vôlei de Praia (8 atletas)
Alison
Emanuel
Juliana
Larissa
Maria Elisa
Pedro Cunha
Ricardo
Talita

Vitória faz campanha para doação de sangue

"O Vitória inovou no último final de semana. Para incentivar seus torcedores a doarem sangue ao Hemocentro da Bahia, o clube lançou a campanha “meu sangue é rubro-negro” e retirou as listras vermelhas de seu uniforme. A ação consiste em trazer gradativamente as listras rubras de volta à camisa, de acordo com o avanço das doações.

A ideia é que uma listra volte a cada jogo da equipe realizado no Barradão. A iniciativa é uma parceria entre o clube e a Penalty, que confecciona o uniforme rubro-negro, além da agência Leo Burnett Tailor Made, idealizadora do projeto.

“Queríamos fazer algo a mais do que apenas pedir para os torcedores doarem sangue. Com essa iniciativa, os rubro-negros participarão mais ativamente da campanha e perceberão a importância de um gesto como esse, que pode ajudar a salvar inúmeras vidas”, afirmou Alexi Portela, presidente do clube.

Na vitória de 2 a 0 sobre o Avaí, no último sábado, o time rubro-negro já entrou em campo com o uniforme alvinegro, com faixas brancas no lugar das vermelhas. Conforme as doações acontecerem, a última listra da camisa pode voltar à cor rubra já no próximo jogo dentro de casa, contra o Paraná Clube, dia 10 de julho, e assim por diante.

“Essa campanha reforça o engajamento do Vitória com projetos sociais. De uma forma inédita, vamos conscientizar nossa torcida da importância de doar sangue”, finalizou Portela.

Os torcedores que quiserem contribuir com a campanha podem acessar o site www.meusanguerubronegro.com.br e conferir os postos de doação credenciados do Hemoba".

FONTE: Uol

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Arena Fonte Nova receberá Seleção Brasileira na Copa das Confederações

Na manhã desta quarta-feira (30), durante coletiva de imprensa, no Rio de Janeiro, para divulgação da tabela da Copa das Confederações 2013, a Bahia foi contemplada com três partidas e terá a Seleção Brasileira, no dia 22 de junho, jogando na Arena Fonte Nova. 
A Bahia também sediará uma das partidas mais importantes, onde serão decididos o terceiro e o quarto lugares, e receberá uma seleção cabeça de chave na primeira fase do megaevento esportivo de 2013. A Copa das Confederações acontecerá entre 15 e 30 de junho de 2013 e, além de Salvador, foram confirmadas cinco sedes: Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro e Recife.

domingo, 13 de maio de 2012

Bahia é campeão na primeira decisão no estádio de Pituaçu

O Bahia levou a melhor na primeira vez em que o Campeonato Baiano foi decidido no estádio de Pituaçu.  O empate em 3 a 3 com o Vitória deverá ser lembrado o futuro como uma das mais emocionantes de todas as decisões dos estaduais. Primeiro, por tudo que este jogo representava para a torcida tricolor: uma chance muito real de acabar com um jejum de 10 anos sem títulos. Algo impensável para um clube tão glorioso quanto o Esquadrão. Segundo, por tanta alternância no placar a as mudanças no destino da taça, durante os 90 minutos.

Primeiro, a torcida do Bahia, cuja confiança era claramente notada durante todo o dia em toda a capital baiana, tomou um susto, quando Neto Baiano aproveitou falha de Rafael Donato, herói da classificação do tricolor para a final e cabeceou para colocar o rubro-negro na frente. Depois, a torcida do Bahia voltou a ver o título próximo, quando Fahel chutou forte, dentro da área, para empatar.

O título parecia já endereçado para o Fazendão quando Gabriel cobrou falta de muito longe, alcançando a bola na área, e ninguém tocou nela, que foi parar dentro da meta rubro-negra. Falha feia do goleiro Douglas. Os jogadores do Vitória se descontrolaram, reclamando que teria havido falta, mas não aconteceu nada de irregular. O goleiro se bate com um companheiro de time, depois de caçar borboletas.

Naquele momento, a festa era tricolor. O Vitória teria que fazer dois gols para ficar com o título. E eles vieram muito rápido. Primeiro em cobrança de pênalti de Neto Baiano. Depois, um lance incrível. Donato cabeceou e Douglas fez uma defesa sensacional. No contra-ataque, Dinei cabeceou e virou para o rubro-negro. Naquele momento, um filme passava pela cabeça dos tricolores. Será que, mais uma vez, a taça iria escapar?

Diones respondeu que não. Depois que o goleiro Douglas deu rebote em cabeçada de Douglas, o volante chutou firme para empatar. Mas o jogo não estava decidido. E ainda teve tempo para Marcelo Lomba se consagrar de vez como ídolo do clube, com defesas incríveis, que garantiram o troféu. O 44º título baiano do Bahia. Que marca a retomada do Esquadrão, que voltou a fazer parte da elite nacional em 2010 e, agora, um ano e meio depois, volta a seguir a sua trajetória de glórias, com um título. Mais um, Bahia. Mais um para a galeria daquele que nasceu para vencer. 


Bahia 3x3 Vitória - Fahel, Gabriel, Diones - Neto Baiano (2), Dinei
Bahia: Marcelo Lomba, Madson, Rafael Donato, Titi e Gerley; Fahel (Morais), Diones, Hélder e Gabriel (Vander); Lulinha (Fabinho) e Souza.
Vitória: Douglas, Romário (Gabriel Paulista), Victor Ramos, Rodrigo e Wellington Saci; Uelliton, Rodrigo Mancha, Pedro Ken e Tartá; Marquinhos (Dinei) e Neto Baiano (Geovanni).

LEANDRO SILVA
é jornalista esportivo e escritor, autor do livro A União de uma Nação, sobre o título brasileiro de 1988, conquistado pelo Bahia, e escreve para o blog 
www.leandrosilva81.blogspot.com .No twitter @leandrosilva81